Bursite e Tendinite do Ombro

A dor no ombro é uma situação tão comum, que até 70% das pessoas terão este tipo de dor ao menos uma vez ao longo das suas vidas. Entre as várias causas possíveis de dor no ombro, a bursite do ombro, também chamada de bursite subacromial é uma das mais comuns.

Bursite é o nome que damos à inflamação da bursa, também conhecida como bolsa sinovial, que é uma pequena bolsa cheia de líquido que age como um amortecedor, diminuindo o atrito entre músculos, tendões e ossos ao redor das articulações.

O ombro é uma das articulações mais complexas do nosso esqueleto, sendo formado por três ossos e vários músculos, tendões e ligamentos.

Com o agravamento da dor, o paciente começa a limitar os seus movimentos com o braço. Coçar as costas, vestir um casaco, fechar o zíper de um vestido, fechar o sutiã ou levantar o braço acima da cabeça tornam-se atitudes muito dolorosas.

O diagnóstico da bursite no ombro e da síndrome do impacto é habitualmente feito após avaliação conjunta da história clínica, do exame físico e de exames de imagens.

Tratamento

O tratamento inicial da bursite subacromial consiste em repouso, aplicação de gelo local e controle da dor com analgésicos e anti-inflamatórios.

Após o controle da dor, a fisioterapia pode ser indicada, para que o paciente restabeleça sua força muscular e amplitude dos movimento do ombro.

Nos raros casos de bursite crônica que não respondem a nenhum tipo de tratamento, a cirurgia para remoção da bursa pode ser a solução.

Prevenção da bursite no ombro

Após o efetivo tratamento da bursite no ombro, algumas medidas podem ser implementadas para diminuir o risco de recorrência:

  • Atividade física orientada por profissional para fortalecimento da musculatura.
  • Alongamentos com orientação profissional.
  • Evitar tarefas que exijam movimentos repetitivos do ombro durante muito tempo.
  • Se não for possível evitar tarefas que sobrecarreguem os ombros, procure ao menos fazer algumas pausas durante o dia.
  • Usar as duas mãos para segurar ferramentas ou objetos pesados.
  • Não ficar com o ombro imobilizado por longos períodos de tempo.
  • Procurar manter um boa postura ao longo do dia, principalmente durante o trabalho.

  • O Pilates na reabilitação! Isso porque seus exercícios restauram a força e o condicionamento do corpo, melhorando o quadro clínico de diversas patologias.
  • Por isso, o Método é muito importante no tratamento das patologias do ombro, pois seus movimentos fortalecem e estabilizam a área afetada melhorando as dores e reabilitando a articulação.
  • Além disso, o Pilates também promove flexibilidade, equilíbrio muscular e ainda previne as futuras lesões que podem acometer o ombro, ajudando na sua funcionalidade.
  • Sendo assim, ele é muito benéfico para aqueles que praticam com o intuito de reabilitar as lesões no ombro.

 

Cleci Rojanski (crefito 101525)

leave a comment

Fields with * are required